Descubra como ter processos mais eficientes na sua empresa

Descubra como ter processos mais eficientes na sua empresa

Processos mais eficientes sem pesar no orçamento da empresa. Descubra como é possível otimizar o negócio sem realizar grandes investimentos financeiros.


 

Em seu dia a dia de trabalho você sofre uma série de pressões que exigem o constante aprimoramento dos serviços da TI, obrigando sua área a inovar sempre. Ter processos mais eficientes é, sem sombra de dúvidas, um dos desafios diários em qualquer mercado.

Reforçando a necessidade permanente de se reinventar, surgem a cada momento novas tecnologias.

No caso dos responsáveis pela TI de uma empresa, essa atualização é uma condição essencial para que consiga entregar soluções de modo rápido e eficiente, com as respostas requeridas pelas áreas de negócio — e, se possível, surpreendendo-as positivamente. Só assim o trabalho será reconhecido como efetivo na busca por resultados da empresa. 

Neste artigo, você vai descobrir como ter processos mais eficientes, mesmo com um orçamento apertado. Confira!

 

processos eficientes-baixo custo

 

Necessidade de aprimorar os processos

Muitas vezes, o merecido reconhecimento dos responsáveis pela TI de uma empresa, não ocorre de maneira tão óbvia, mesmo em tempo de transformação digital e constatação da relevância desses profissionais.

Uma recente pesquisa do Gartner, entrevistando 90 CEOs de empresas de tecnologia, mostra que 68% deles têm como prioridade a expansão da empresa, mas somente 26% deles veem como prioritário o aprimoramento de processos de negócio. Isso revela o grau do descompasso entre o desejo de crescimento e a percepção (correta) de que melhores processos impulsionam maiores receitas.

Vamos avaliar um exemplo real: uma empresa de serviços de tecnologia, oferecendo ao mercado uma excelente arquitetura corporativa, fechava negócio 90% das vezes em que apresentava prova de conceito ao possível novo cliente.

O que essa empresa poderia fazer para se expandir no mercado? A ideia do CEO era contratar mais profissionais, para apresentar provas de conceito a um maior número de potenciais clientes.

Em vez disso, o Gartner recomendou a criação de uma prova de conceito on-line, para autoatendimento. Dessa forma, sem limites no número de apresentações, a taxa de fechamento de negócios passou a ser de 65% e foi possível à empresa dar conta de um número muito maior de atendimentos sem novas contratações.

 

Processos mais eficientes por meio da automação

Um atributo-chave da inovação em negócios é o desenvolvimento de processos automatizados escaláveis, que permitem maior crescimento no longo prazo. A prioridade, tanto nos processos de front-office como vendas e marketing , quanto nos processos de back-office como contabilidade, finanças e recursos humanos deve ser sempre o desenvolvimento dos processos escaláveis.

Sem automação, a otimização de processos se torna uma tarefa praticamente impossível. E há ferramentas certas para diferentes tipos de automação de processos.

Soluções Robotic Process Automation

As soluções RPA Robotic Process Automation  são um modo eficiente de você rapidamente agilizar os processos repetitivos e uma boa maneira de iniciar uma estratégia de automação de longo prazo.

Funcionalidades presentes em soluções RPA para automação de processos são capazes de executar atividades operacionais de rotina, ligadas a processos burocráticos.

Com essas soluções você emula ações humanas tanto em tarefas determinadas quanto nas diferentes etapas de processos mais complexos. Isso inclui, por exemplo:

  • a resposta automática a e-mails;
  • processamento on-line de ordens de compra;
  • categorização de chamados de suporte;
  • gerenciamento de folhas de pagamento;
  • transferência de dados entre diferentes sistemas, entre muitas outras possibilidades. 

De acordo com uma publicação da Forrester Research, o RPA seria uma abordagem tática, para “aliviar as dores” de um processo penoso, enquanto o BPM Business Process Management tem como objetivo modernizar e, continuamente, aprimorar os processos de negócios.

Digital Process Automation

O conceito de Digital Process Automation — DPA — pode ser considerado uma evolução da categoria BPM, expressando a necessidade cada vez maior de automatizar processos, como elemento essencial da jornada das empresas rumo à transformação digital.

A Forrester Research diferencia o DPA–deep (um DPA profundo) do DPA–wide (um DPA largo), sendo o primeiro destinado a um pequeno e seleto grupo de profissionais de TI altamente qualificado, com foco em processos muito complexos e capazes de determinar onde inovar ou não.

Essas soluções DPA-deep também são caracterizadas pelo foco em criar aplicações mais complexas, portanto, um número menor se comparado à DPA-wide.

O DPA-wide seria “para as massas”, estendendo o design do processo para além dos pequenos grupos de desenvolvimento altamente qualificados para os usuários corporativos, utilizando plataformas low-code, ou mesmo no-code.

Ou seja, todos podem se beneficiar de soluções DPA low-code de automação de processos. Outra característica dessas soluções DPA-wide é a escalabilidade, o foco em centenas de aplicações.

Por dispensarem codificação, essas plataformas não exigem uma alta qualificação em TI do profissional desenvolvedor. Ainda assim, permitem mudanças significativas em modelos e procedimentos operacionais — como fluxos de trabalho, regras de negócio, modelos de dados e modelos de decisão, entre outros — influenciando diretamente os processos e resultados operacionais da empresa.

DPA-Deep e DPA-Wide

A questão que se apresenta é: como ter uma plataforma que sirva tanto aos times de TI (DPA-Deep) como para os times de negócios (DPA-Wide) ao mesmo tempo?

Um modelo ideal é a solução Zuri, que resolve de forma simples problemas altamente complexos, tanto para equipes de TI quanto para equipes de negócios.

Profissionais de negócios sem conhecimento em linguagem de programação e desenvolvimento conseguem usar o Zuri para criar sua própria solução de automação de processos de negócios.

Ao mesmo tempo, o Zuri também atende equipes de TI, fornecendo criação de aplicações complexas com integrações de sistemas, e tudo sob fácil governança, seguindo compliance e outras regras de negócios.

A Forrester Research identifica ainda outra classe de produtos para automação de processos: DCM (Dynamic Case Management), voltada a ambientes múltiplos, processos específicos caso a caso ou investigações: “é importante entender as diferenças entre as tecnologias para a automação de processos. Mas também é importante compreender como elas podem funcionar em conjunto. A Forrester identifica silos de automação sendo criados em empresas – e essa é uma tendência perturbadora. Leve isso em conta”. 

Uma plataforma DPA low-code (como a solução Zuri), que seja integradora de sistemas, é a escolha mais inteligente.

 

Mineração de processos

 O conceito de mineração de processos vem se desenvolvendo bastante nos últimos anos, em que surgiram primeiro produtos específicos e, agora, temos soluções DPA e RPA que nos fornecem toda visão acerca de gargalos, contribuindo para melhoria contínua de forma mais simples, fácil e acessível financeiramente.

Hoje, a mineração de processos se estende à Internet das Coisas (IoT), redes de distribuição de produtos, manufaturas e logística, e pode se tornar uma peça importante na transformação digital das empresas.

Considera-se que um bom produto de mineração de processos inclui características como:

  • análise da interação com clientes para integração a processos internos; 
  • análise preditiva; 
  • painéis com indicadores de desempenho atualizados em tempo real;
  • suporte para interação entre diferentes processos de negócios. 

Como você pode ver, conhecer as soluções e tecnologias disponíveis no mercado, alinhando o seu negócio às demandas do mercado e adequando as possibilidades ao orçamento, é um passo importante para o crescimento contínuo da sua empresa.

Na prática, uma plataforma DPA low-code, que seja integradora de sistemas, é a escolha mais inteligente, independentemente do porte do seu negócio.

Gostou deste artigo sobre transformação digital? Então, aproveite para conhecer a solução low-code Zuri. Entre em contato conosco!

 

 

“PhD. Leandro Zerbinatti, Diretor de Serviços”
Mentor de Transformação Digital e Professor PHD, Leandro traz em seu legado vasta experiência corporativa em áreas do ciclo de desenvolvimento da Engenharia de Sistemas (Eletrônicos e de Informação), Inovação e Capacitação de Pessoas. Nos últimos anos, aprofundou seu expertise na tecnologia low-code e atuou como líder de Academy para a Outsystems, gigante do mercado global em tecnologia low-code, focada em desenvolvimento de aplicativos..

 


Referências: 

  1. Tech CEOs: How and When to Improve Business Processes to Enable Scalable Growth, Gartner, junho de 2019. Analistas: Arthur Villa, Neil McMurchy 
  2. RPA, DPA, BPM, And DCM Platforms: The Differences You Need To Know,  Forrester Research, março de 2019, por Craig Le Clair 
  3. Market Guide for Process Mining, Gartner, junho de 2019. Analista: Marc Kerremans